Páginas

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Vitórias em estreia de Baraúnas e Potiguar pelo Campeonato Estadual é raro de acontecer; entenda

O que ocorreu na primeira rodada da Copa Cidade do Natal realizada no último domingo, 15, com Potiguar e Baraúnas é raro de acontecer no Campeonato Estadual com a dupla Potiba: Os dois estreando com vitória no mesmo dia.
O fenômeno só tinha sido registrado na abertura do Campeonato Estadual de 2013, mesmo assim um jogando como mandante e o outro atuando como visitante, diferentemente deste domingo quando os dois jogaram fora de casa e conseguiram vencer seus respectivos adversários.
Em 1987 também os dois estrearam vencendo, mas em dias diferentes. O Baraúnas vencia o Atlético por 4 a 1, em 11 de março. Já o Potiguar também estreou com o Atlético, porém sete dias depois. O placar foi favorável para os mossoroenses por 3 a 0.
Naquela oportunidade, o Alvirrubro mossoroense venceu o Potyguar de Currais Novos pelo placar de 1 a 0 fora de casa. Já em Mossoró, o Tricolor bateu pelo mesmo 1 a 0 o Assu.
Neste domingo os representantes mossoroenses entraram em campo pela primeira rodada.Em Assu, o Potiguar venceu os donos da casa por 2 a 1Já na Arena das Dunas, o Baraúnas bateu o Alecrim por 2 a 0.
Somente em duas oportunidades os dois representantes mososoroenses na competição estadual estrearam como visitantes na rodada inaugural. No Estadual de 1998 o Baraúnas empatou com o ABC em 1 a 1 e o Potiguar perdeu para o Areia Branca por 3 a 1.
Já em 1979, os dois também estrearam fora de casa, mas, neste caso, em dias diferentes. Em 15 de abril o Leão do Oeste vencia o Alecrim por 2 a 1. Três dias depois, em 18 de abril, o Potiguar perdia para o ABC pelo placar mínimo (1 a 0).

‘Quando um preso decide matar outro, é difícil evitar’, diz Virgolino

O secretário de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte, Wallber Virgolino, afirmou na noite deste domingo (15), em entrevista à Folha, ser “muito difícil o Estado evitar” a morte de detentos em presídios. Motim na Penitenciária de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal, deixou 26 presos mortos neste fim de semana, segundo contagem do governo.
“A secretaria tomou o cuidado necessário”, disse, questionado sobre a responsabilidade do governo sobre a rebelião. “Agora, sistemas penitenciários são de detenção. Você não tem como ter certeza de 100% que um preso não vai matar outro, que ele não vai fugir ou que ele não vai se rebelar. São pessoas com um nível de violência gigantesco. Quando um decide matar o outro, é muito difícil o Estado evitar. Se a gente antecipar, a gente consegue evitar”, afirmou Virgulino, que disse que dificuldades estruturais e de efetivo dificultam o trabalho da pasta.
A rebelião foi motivada por uma briga nos pavilhões 4 e 5 do presídio envolvendo as facções PCC (Primeiro Comando da Capital) e Sindicato do Crime. Segundo o governo, todos os mortos são ligados ao Sindicato do Crime. Houve uma invasão de um pavilhão por presos inimigos, o que deu início ao motim.
A matança é mais um capítulo da crise penitenciária no país: é o terceiro massacre em presídios em apenas 15 dias. No total, 134 detentos já foram assassinados somente neste ano, 36% a mais do total do ano passado, quando 372 presos foram mortos.
Segundo o governo, batalhões impedem que grupos rivais entrem em conflito no local, e a Força Nacional faz a segurança no perímetro externo do presídio, para evitar fugas.
O trabalho de identificação dos corpos começará nesta segunda e deve seguir por 30 dias, diz o governo –em Roraima, onde um motim deixou 33 mortos no dia 6, o governo demorou pouco mais de um dia para divulgar uma lista com os nomes de 31 vítimas. Dois dos presos mortos no Rio Grande do Norte foram carbonizados e todos os outros foram decapitados.
Segundo o diretor do Itep (Instituto Técnico Científico de Perícia), Marcos Brandão, não há marcas aparentes de perfuração por balas nos corpos, apenas por instrumentos cortantes –ainda é preciso fazer necropsia nos corpos para identificar as causas de morte.
Agentes encontraram dentro do presídio uma pistola caseira, de um cano feita manualmente, e granadas não letais, que não foram usadas, segundo o governo.

palavra-chave Todas Enviar Postado em Hoje - 10:48 Dirigentes de Potiguar e Baraúnas ameaçam deixar o Estadual

O presidente do Potiguar, Marcos Fernandes, e o vice-presidente do Baraúnas, Gilson Cardoso, falaram na manhã desta segunda-feira, 16, que os dois clubes podem abandonar o Campeonato Estadual caso o Nogueirão permaneça interditado pelo Corpo de Bombeiros.
À reportagem, Gilson Cardoso demonstrou total irritação com a situação e a decisão de deixar a competição deve ser oficializada já nesta terça-feira, 17.
“Não tem como a gente pagar para jogar. Eu respeito o campo do Assu, mas o Nogueirão tem mais condições de receber jogos do que o Edgarzão. O Corpo de Bombeiros, na figura de seu capitão, está sendo intransigente. Foram cumpridas 99% das exigências e  mesmo assim ele não liberou. Com isso, nós vamos nos reunir com o elenco e passar a situação para os jogadores e se o Nogueirão não for liberado não terá outra medida a não ser abandonar a competição”, disse Cardoso que ainda pediu que a classe política mossoroense entrasse nesta briga pelo futebol mossoroense.
“Nem um político de nossa cidade está aqui no Batalhão onde houve agora a reunião com o Corpo de Bombeiros. Os políticos foram convocados, mas nenhum compareceu aqui. Desse jeito fica difícil. Nós estamos lutando pelo futebol de Mossoró”, complementou Gilson.
Gilson Cardoso afirmou que o jogo com o ABC, caso o clube não oficialize a desistência da competição, será mesmo em Assu e que agora as forças são para que a liberação saia para o clássico Potiba do domingo, 22.
“Nós já perdemos o prazo para a partida desta quarta-feira diante do ABC. Agora nós estamos na luta para que o clássico Potiba seja disputado no Nogueirão no domingo. É uma intransigência grande o que está sendo feito com o estádio. Já foram concluídas 99% das exigências do Corpo de Bombeiros, mas mesmo assim, eles ainda não liberaram.
A reportagem também tentou entrar em contato com o presidente do alvirrubro, Marcos Fernandes, mas não obtive êxito na tentativa de confirmar as informações em que ele repassou ao repórter Agenor Melo, da RPC.
Na entrevista dentro do Programa Comando Geral, o mandatário disse que o clube também pensa em desistir da competição em não havendo a liberação da principal praça esportiva do município e casa dos dois representantes mossoroenses no Campeonato Estadual.

Governo confirma 26 presos mortos durante rebelião em Alcaçuz


Rebelião ocorrida nesse sábado na Penitenciária Estadual de Alcaçuz resultou na morte de 27 presos por integrantes de facção rival.
O Governo do Estado confirmou no final da tarde deste domingo (15) que 26 presos foram mortos durante o confronto de facções criminosas na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, ocorrido ontem. Mais cedo, o o número divulgado foi de 27 mortes, mas, segundo o governo, um deles foi computado duas vezes por que alguns corpos foram esquartejados e dois foram carbonizados.

Outros nove detentos ficaram feridos durante a rebelião e foram encaminhados para o Pronto Socorro Clóvis Sarinho, onde permanecem em atendimento. A assessoria de imprensa do Hospital Walfredo Gurgel informou que eles não correm risco de morte.

Nenhum policial, agente de segurança ou servidor do estado sofreu danos físicos.
A equipe do Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) reforçou a estrutura para receber os corpos. O ITEP está com quatro equipes de criminalística, cinco necropapiloscopistas, quatro identificadores criminais, quatro arquivistas criminais, quatro médicos legistas, dois odontolegistas, além de duas psicólogas e uma assistente social para o acolhimento aos familiares das vítimas. Também foi contratado um caminhão frigorífico para manter os corpos conservados durante o processo de exames periciais e de identificação humana.

“Vamos trabalhar para agilizar a identificação das vítimas através de necropsia, arcada dentária ou DNA. Pelo estado dos corpos, alguns com muitas perfurações e decapitados, precisamos de tempo para identificar as vítimas. Nossa expectativa é concluir os laudos em até 30 dias”, explicou o diretor geral do ITEP, Marcos Brandão.
Sobre a situação em Alcaçuz, o secretário de estado da Segurança Pública, Caio Bezerra informou que o policiamento na unidade permanece reforçado na área externa e guaritas. “A Polícia Militar e a Força Nacional estão patrulhando o perímetro para prevenir fugas. Temos um planejamento e continuaremos colocando em prática para evitar que novos motins aconteçam”, disse.
De acordo com o titular da Sejuc, Wallber Virgolino, alguns responsáveis pela rebelião foram identificados. “O monitoramento continua e estamos avaliando. Caso necessário, faremos as transferências dos grupos e líderes que participaram do motim para outras unidades prisionais”, declarou o secretário.
Também estiveram presentes à coletiva, o comandante geral do Corpo de Bombeiros, Sócrates Vieira; delegado geral adjunto da Polícia Civil, Correia Júnior; e o subcomandante da Polícia Militar, Ulisses Paiva.
O motim teve início no final da tarde desse sábado (14) e durou cerca de 13 horas, encerrando após a entrada da Polícia Militar na unidade prisional.

Vereadores devem se reunir nesta terça para votarem projeto que extingue vantagens de servidores

A Câmara Municipal de Natal se reúne na tarde desta terça-feira (17) para começar a apreciação de projetos no ano de 2017. A convocação extraordinária foi feita pelo presidente da Casa, Raniere Barbosa (PDT), que incluiu na pauta um projeto do Executivo municipal que pretende extinguir vantagens de servidores municipais.
A sessão começa às 14h e deve continuar no dia 18. Também serão reordenadas as comissões legislativas, que devem receber novos nomes e escolhidos novos membros, votadas mudanças no Regimento Interno da Casa e Lei Orgânica do Município, e escolhida a data de retorno do recesso parlamentar.
“Com essas definições a serem feitas nas sessões extraordinárias, queremos dar agilidade à dinâmica da Casa para quando retornarmos do recesso melhorarmos a produtividade legislativa”, enfatizou Raniere.

Novo massacre em presídio no RN mantém crise no Planalto e eleva pressão por novas medidas

O massacre de sábado no Rio Grande do Norte firmou no Planalto a convicção de que a crise prisional está longe do fim e elevou a pressão para que a reunião com secretários estaduais, na terça (17), apresente medidas concretas para enfrentá-la, informa a coluna Painel, da Folha de São Paulo.
Antes, Michel Temer e Alexandre de Moraes (Justiça) devem bater o martelo sobre novas frentes de atuação. Na quarta, o presidente reúne governadores para tratar do assunto. Quer partilhar responsabilidades para tirar a crise de dentro do palácio.
Cerca de 10 dos 56 presos mortos no início de janeiro no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus, haviam prestado em dezembro o Enem PPL — a versão do exame para “pessoas privadas de liberdade”.

Alckmin nega possibilidade de ataque do PCC em São Paulo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, negou hoje (16) a possibilidade de um ataque da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) nesta semana. Um documento interno da polícia alerta sobre um possível ataque da organização criminosa. Alckmin garantiu que o serviço de inteligência da polícia paulista faz monitoramento 24 horas por dia.
O secretário estadual de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, confirmou a existência de um alerta interno da polícia paulista sobre um ataque programado para amanhã (17), mas disse que o monitoramento feito pela Secretaria de Segurança Pública (SSP)  e pela Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) não apontam a possibilidade de o ataque ocorrer.
“O que está sendo difundido na internet é um informe de inteligência e não tem a menor procedência. Já testamos todos os meios necessários. A segurança do estado está sendo realizada no seu padrão de eficiência e alerta sempre, mas sem reforço adicional”.
O secretário afirmou que o informe está errado e que o responsável por sua emissão é “alguém que não sabe trabalhar com inteligência”. Ele informou ainda que o investigador que emitiu o alerta será afastado da função. “Não sei quem ele é e não vou falar com ele, mas acho que ele não demonstra ter afinidade com o trabalho de inteligência, que não é feito de forma escancarada”.
Rebeliões
Alckmin também rebateu críticas e reportagens que afirmam que o crescimento do PCC e a atual crise prisional estariam relacionados ao fato da transferência de líderes da organização de São Paulo para presídios de outros estados. 
“Querer dizer que as rebeliões que acontecem se devem a transferências feitas na década de 90, mais de 20 anos atrás é muita fantasia. É preciso arrumar outra desculpa. O que precisa para líderes de organizações criminosas é ter Penitenciária de Segurança Máxima e Regime Disciplinar Diferenciado, que é o que nós temos”, disse Alckmin, no Palácio dos Bandeirantes após cerimônia de entrega de 573 viaturas para a frota da Polícia Militar.
Alckmin disse ainda que as transferências foram determinadas pelo Poder Judiciário, e não pelo governo estadual. “Temos as penitenciárias mais seguras do país. Tanto é que Fernandinho Beira Mar ficou aqui dois anos, nem é de São Paulo, mas esse é um compromisso que temos com o Brasil e podemos ajudar. Ele só saiu porque a Justiça determinou”.

Presos dizem que existem mais corpos em valas e fossas dentro do presídio de Alcaçuz

Após retomarem o controle da Penitenciária Estadual de Alcaçuz na manhã desta segunda-feira (16), os detentos do pavilhão 1 estão trocando ameças com rivais de outros pavilhões e exibindo faixas de facções criminosas presentes no Estado.
A Penitenciária foi palco da maior rebelião já registrada na história do Rio Grande do Norte neste final de semana, quando 26 detentos foram brutalmente assassinados através de decapitações e carbonizações.
Durante a retomada da posse do presídio, os presos alegaram que o número de vítimas é maior do que o que foi anunciado pelo Governo em entrevista coletiva na noite do último domingo (15). As informações são da Tribuna do Norte.
De acordo com os presos, ainda existem corpos dentro da Penitenciária que não foram recolhidos pelos órgãos de segurança. Estes corpos estariam, ainda segundo os detentos, dentro de valas e fossas nas instalações do maior presídio do Estado.

Sindicato do Crime ameaça retaliação ao PCC fora de presídios no Rio Grande do Norte


Após o princípio de tumulto realizado na Cadeia Pública de Natal, conhecida também como Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato, ter sido controlado por policiais e agentes penitenciários, os presos da unidade, membros do Sindicato do Crime, ameaçaram cumprir retaliação ao PCC (Primeiro Comando da Capital) fora das unidades prisionais.
A informação foi publicada no jornal O Estado de S. Paulo na manhã desta segunda-feira (16). Segundo a Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc), os detentos tentaram derrubar uma das paredes do presídio, porém, a intervenção de policiais evitou o andamento da ação. Uma tentativa de invasão a uma ala da Cadeia Pública onde ficam presos ameaçados de morte também foi abortada.
No último sábado (14), presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, a maior do Rio Grande do Norte, se rebelaram durante 14 horas numa ação que resultou em 26 mortes, segundo os números divulgados pelo Governo do Estado. A rebelião, que foi iniciada às 16h30 do sábado, só foi controlada às 6h30 do domingo (15). As vítimas foram assassinadas através de decapitações e carbonizações.

domingo, 15 de janeiro de 2017

ABC e Globo se ‘pegam’ apostando na força coletiva



ABC e Globo se enfrentam neste domingo, 15, às 17h, no estádio Frasqueirão, em Natal, na estreia de ambos pelo Campeonato Estadual. Considerando a preparação e o investimento feito no elenco, os dois clubes são tidos como um dos favoritos para vencer a competição.

O ABC, com investimento maior, manteve a base da temporada passada, segurou o técnico Geninho e ainda se reforçou de alguns atletas, entre eles o atacante Túlio Renan, que estava no futebol gaúcho.

O Globo, se comparado com o ABC, possui investimento menor, mas dentro de suas possibilidades o clube conseguiu manter vários jogadores do campeonato passado, reforçou o grupo, e fez uma pré-temporada longa.

Justamente pela condição e entrosamento dos atletas, o Globo espera poder surpreender os atuais campeões estaduais, dentro do Frasqueirão.